Total de visualizações de página

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

O preço da mão de obra

De nada adianta ter piso de mármore, esquadrias de jatobá e móveis de Gramado se a casa ficar toda torta, com goteiras e outros probleminhas. Por isso a mão de obra é importantíssima. Eu optei em contratar um pedreiro para construir minha casa. Com o boom da construção civil se tornou praticamente uma tarefa de gincana. A sorte é que fiz muitos contatos, mas mesmo assim, consegui a indicação de apenas três pedreiros.

Vamos aos preços. O primeiro, que me parecia o mais barato de todos, quis R$ 29 mil, incluindo a instalação elétrica. O segundo, R$ 27 mil, sem instalação elétrica. E o terceiro, com instalação, R$ 21 mil. Uma diferença de R$ 8 mil! Dá para pagar 80% das esquadrias. A explicação para preços tão diferentes está na maneira como cada profissional trabalha.

O pedreiro que contratei tem apenas um servente. Já os outros dois, realizam a obra em ritmo de empreitada. Eles fazem determinada parte e contratam conhecidos para fazer as demais. Claro que dessa maneira o custo se eleva, pois todo mundo quer garantir o seu lucro.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Difícil escolha: pedreiro ou construtora

A menos que você seja pedreiro, obra é algo que alguém irá fazer por você. Diante disso, não dá para  entregar a maior realização da sua vida nas mãos de qualquer um. Por outro lado, você não vai ficar a vida inteira preso a uma dívida gigantesca que fará do seu cotidiano um horror porque todos os recursos precisam ser destinados para o pagamento das dívidas.

Construtora:
Vantagens
- Não é preciso ter dinheiro de arrancada
- Você não se envolve com o pagamento de mão de obra e compra de materiais
- Estão acostumadas a lidar com prazos
- Tem uma equipe especializada para cada etapa da construção: alicerce, telhado, piso, acabamentos, instalação elétrica e hidráulica e pintura
 Desvantagens
-  O lucro da construtora é em média de 40% e em alguns casos pode chegar a mais. Por isso, o custo da obra fica elevado. Se a casa está orçada em R$ 70 mil, 28 mil vão para a construtora. Está certo que parte deste dinheiro é para pagar a mão de obra, mas mesmo assim é muito dinheiro. Essa margem de lucro diminuirá diretamente a metragem na sua casa
- Como as construtoras realizam várias obras ao mesmo tempo, não são raras os momentos que faltam material de construção
- Existe muito rodízio de mão de obra. Com isso, profisionais de qualidade duvidosa podem realizar alguma besteira durante a construção como paredes não alinhadas, rebocos mal acabados e instalação elétrica com "gambiarras"

Pedreiro
Vantagens
- Você economiza, principalmente se ele trabalhar sozinho, com a ajuda de um ou dois auxiliares. Com essa economia será possível investir em material para a casa. Por exemplo, ao invés de cerâmica colocar um porcelanato, pintura com detalhes e calhas no telhado. Talvez ainda sobre um dinheiro para o muro.
Desvantagens
- É preciso ter capital de giro. Todo fim da semana você terá que fazer o pagamento do pedreiro. Além disso, é você o responsável por negociar prazos e o pagamento do material.
- O envolvimento integral com a obra poderá ocasionar muita tensão e estresse, principalmente entre casais.
Depende de cada um
Ao realizar a obra por conta própria você é quem definirá a qualidade dos materiais de construção. Essa tarefa pode exigir um esforço extra, mas ao fim da construção pode valer a pena. Os tijolos, por exemplo, tem pior ou melhor qualidade conforme a maneira como secados ao forno, o mesmo vale para as telhas. Pisos retificados existem menos rejunte. E por aí vai.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Quanto posso gastar?

Já definiu o projetista, fez o esboço da planta e agora chega o momento de realmente definir como será o projeto. Aqui é preciso estar com os pés firmes no chão e usar todos os conhecimentos matemáticos. Infelizmente nem todo mundo tem dinheiro vivo para pagar a construção de uma casa à vista. Se você é assim como eu, do outro time, terá que pedir dinheiro emprestado.

Os financiamentos da Caixa Federal são uma boa saída, em especial, o Minha casa, minha vida. Foi esse que escolhi. Com a ajuda de um consultor fiz uma simulação e cheguei ao valor máximo que posso gastar. No Minha casa, minha vida o valor máximo financiado é R$ 100 mil. No meu caso, irei financiar somente a construção, pois o terreno já tenho.

A conta é muito simples. O valor do terreno + a metragem da casa. Com um pedreiro, você poderá calcular o metro quadrado entre R$ 700 e R$ 800. Já com a construtora esses custos são mais elevados e podem chegar até R$ 1 mil, mas em contrapartida você não tem nenhum envolvimento com a obra. Por isso não adianta ficar imaginando uma casa do tipo novela se o seu bolso é tipo vida real.

Foto: reprodução

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

A escolha do projetista

Se dinheiro é a solução de todos os problemas, a falta dele exige mais planejamento. E na hora de escolher quem fará o projeto da tão sonhada casa são dois fatores que pesam: dinheiro e reputação. Quanto posso e quero gastar com o projeto? O engenheiro ou arquiteto é de confiança?

Neste momento é importante trocar idéias com quem já construiu. Não existe obra perfeita, mas existem obras que tem mais problemas do que outras. Esse parâmetro é preciso levar em conta. Visite algumas casas já prontas do profissional que você deseja contratar.

Depois faça uma pesquisa de mercado e descubra quanto o arquiteto ou engenheiro cobra por metro quadrado. Eu consultei quatro profissionais e os preços foram os seguintes: 12, 15, 17 e 20 reais por metro quadrado. Escolhi a que cobrou 17. Por quê? O engenheiro de R$ 15 não conhecia a dinâmica do financiamento da Caixa Federal. O arquiteto de R$ 20 era muito caro e além disso, cobrava muitas taxas para realizar as vistorias da obra. Já o arquiteto de R$ 12 estava tomado de serviço e era responsável por praticamente 1/3 dos projetos da cidade. Os projetos eram padrões e ele recebeu a fama de não acompanhar a obra do jeito que o proprietário espera por ter muito trabalho.

Por isso optei pela arquiteta que me cobrou R$ 17 o metro quadrado. O preço ficou intermediário. Além disso, a profissional trabalha com uma equipe que se encarrega de toda a burocracia. Como não tenho tempo para correr em prefeitura, cartório e banco achei essa melhor escolha. Essa foi a primeira despesa de muitas que ainda viriam.
Foto: reprodução

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Como será a casa?

Decidir a hora certa para ter o seu próprio canto é tranquilo, agora ter certeza do que se quer...Antes de fazer cálculos e discutir itens de decoração é preciso definir como será a casa. Para isso é preciso levar várias coisas em conta:

- quantas pessoas irão morar ali: casal, filhos, pais que mais tarde precisarão ser cuidados
- trabalho em casa? quem sabe então, um cantinho só para isso?
- teremos cachorros? onde eles serão acomodados?
- e os banheiros? um, dois, ou uma suíte e um banheiro social?
- temos carro? faremos garagem?

Enfim, essas são apenas algumas perguntas que precisam ser realizadas antes de se aventurar pelos desenhos e dar uma de projetista. Após encontrar algumas respostas, o legal é você mesmo fazer uma planta baixa de como imagina o seu lar doce lar. É fundamental não esquecer as características do terreno. Depois disso, aconselho marcar uma hora em um escritório de arquitetura ou engenharia.

A partir do seu rascunho e da entrevista que o profissional fará, o próximo esboço já começa a se aproximar daquilo que você precisa. Mas não crie falsas expectativas. Até que o projeto fique com a sua cara demora.

Estou em construção

Ter uma casa própria é sonho da maioria das pessoas. Agora ter uma casa com a sua cara, que atenda todas as suas necessidades e que seja confortável e com qualidade, além de sonho é um desafio. Ainda mais se você fizer isso por conta própria, sem a ajuda de uma construtora, escritório de arquitetura ou decorador profissional. Realmente não é tarefa fácil.

Estou em construção desde agosto. Na realidade, ainda nenhum tijolo foi sentado, mas até que o projeto saia do papel é um caminho muito longo. A partir de agora vou postar aqui o dia a dia da construção da minha futura casa. Todos os problemas, acertos e erros. Também darei dicas de locais para compra de material de construção e profssionais do ramo.

Sou Débora Ertel, 28 anos, jornalista e mais uma brasileira contribuindo para o boom da construção civil.

Publicar postagem