Total de visualizações de página

quinta-feira, 2 de maio de 2013

A goteira misteriosa

Depois da primeira chuvarada com "C" maiúsculo confesso que fiquei com uma pontinha de saudades da casa velha. A moradia podia ter muitos defeitos, mas o telhado era de fé. Nunca havíamos registrado uma goteira. E na casa nova, com telhas do tipo classe "A", com manta térmica, uma goteira desafiava nossa paciência.

Toda vez que uma chuva com vento surgia começava a pingar a tal goteira. Subimos no telhado à procura de telhas quebradas e não encontramos nada. Pedimos para o funileiro conferir as calhas e não encontrou nada. Só a tal goteira continuava lá. Inclusive, por conta disso, perdi várias bacias de plástico que foram colocadas no sótão para proteger o forro. 

Até que um dia, por um acaso do destino, descobrimos a origem da goteira misteriosa. A casa tem três telhados, todos interligados e com níveis diferentes. Em cada emenda deveria ter sido instalada uma algerosa. Pois, é. Deveria, né! Acontece que na ligação entre o telhado mais alto e o intermediário não tinha algerosa. Descobrimos isso um ano e meio depois porque um pedaço da manta térmica se desprendeu. Agora sim. Pode cair canivete que goteira não é mais problema.