Total de visualizações de página

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Escada dobrável: uma sugestão de onde investir o 13.º salário

Uma escada é um acessório importante dentro de uma casa, não é verdade? Sempre tem uma calha pra limpar, uma lâmpada para trocar, limpeza de forro, telha trincada, goteira, poda de galhos, enfim, não faltam opções de tarefas para utilização. Mesmo que seja de vez em quando, a escada sempre tem utilidade. Mas também não é legal ter uma escada que mais ajuda do que atrapalha, principalmente pelo tamanho e porque não há espaço para guardá-la.

Por isso, a minha dica é investir em uma escada de alumínio dobrável. Ela é prática, resistente e pode ser guardada em qualquer cantinho. Além do mais, não é tarefa de outro mundo conseguir transportar o acessório dentro do carro. Dependendo do modelo, pode chegar a 6 metros de altura, com 20 degraus, e suporta 150 quilos. Mas o interessante é a capacidade de ajuste, sendo possível montar até 8 posições. Uma de 16 graus, por exemplo, você encontra por R$ 350,00.

Como está chegando a Black Friday e o depósito da primeira parcela do 13.o salário se aproxima, essa é a minha dica de investimento. Daí já aproveita para usar a escada naquela limpeza tradicional que ocorre antes do Natal.

sábado, 14 de setembro de 2019

Tá sobrando fio na parede?

Sabe aquele ditado "o que os olhos não veem, o coração não sente"? Na casa, parece que usamos a mesma lógica, principalmente com aquilo que fica dentro das paredes. Nesta semana trocamos um eletrodoméstico de lugar e para que o equipamento ficasse melhor acomodado, decidimos mudar a direção da tomada de luz (invertemos o sentido de plugar a tomada). 

Para nossa surpresa, quase não foi possível fazer essa simples operação porque não havia fio sobrando dentro da tubulação. Foi preciso dar aquela "forçadinha" para conseguir fazer o ajuste. 

Assim, fica uma dica importante. Combine com o eletricista que ele não deve desperdiçar fio, mas também não precisa deixar a fiação tão justa dentro da parede. 

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Quando se tem crianças, torneira automática é um bom negócio

Lá em casa temos três crianças. Quem é pai ou mãe sabe que, por mais que se cuide, volta e meia os pequenos aprontam alguma coisa. Não é verdade? Torneira aberta então...Não foi nem uma, duas ou três vezes que flagramos a torneira do banheiro da rua escorrendo. Como essa peça fica mais afastada e longe dos nossos olhos, o problema se repetiu diversas vezes.

Por mais que se ensine os filhos a fecharem, eles estão apressados em brincar ou ansiosos por fazer outra atividade, e acabam esquecendo. Ainda tem os amigos dos filhos (nossa casa vive cheia de criança) e as visitas também podem esquecer de fechar o registro.

Como a torneira atual já estava meio desgastada, decidimos trocar por uma automática. Compramos da Meber, por R$ 115,00 (melhor custo benefício na pesquisa que realizamos). A promessa é de economia de água de 60%. Mas além disso, é sinônimo de tranquilidade para os pais.

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Depois de sete anos, o primeiro vazamento

O primeiro vazamento a gente nunca esquece, não é verdade? Tudo começou com a tarifa de água mais cara, com a cobrança de 9 metros a mais que o consumo habitual. Mexe daqui, olha dali, e chegamos a conclusão que pudesse ser uma torneira "cansada" do banheiro da rua, que volta e meia as crianças não fechavam direito. Trocamos a torneira, ficamos com a consciência tranquila e deixamos de observar o relógio. Estávamos errados.

Depois de usar a churrasqueira no domingo, com a temperatura abaixo dos 10 graus, na segunda-feira o local amanheceu ensopado. Havia uma poça gigante embaixo da churrasqueira, onde tem uma porta de madeira. O piso foi seco e não havia nada, nem rachaduras, nem manchas, nem uma gota d'água. O jeito foi chamar um profissional para achar o vazamento.

Ele veio no dia seguinte, na terça-feira, no mesmo momento em que chegou a nova conta de água. Dez vez, foram 35 metros a mais, com a cobrança de quase R$ 350,00.

O técnico localizou o vazamento, que estava embaixo da calçada externa, atrás da churrasqueira. Em uma emenda, o cano havia se desprendido, como se não tivesse mais cola ali. Por isso, o nosso pátio estava ensopado (e a gente achando que era por falta de sol). Por sorte, não foi em uma parede ou dentro de casa.

Sobre o valor da fatura, conseguimos um desconto de 40% com a companhia (Corsan) e o parcelamento em quatro vezes do valor restante. A nossa dica é: na dúvida, chame logo um técnico e não esqueça de acompanhar o movimento do relógio para verificar o consumo.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Uma casa para cadeirantes

Depois da casa própria, construímos uma casa para locação. O imóvel fica no mesmo terreno onde já existia uma outra moradia da família, também para aluguel. As duas unidades estão alugadas e coincidentemente para famílias com cadeirantes. Essa condição dos inquilinos obrigou a fazermos algumas adaptações na casa, como a construção de rampa e a colocação de uma porta maior nos banheiros, além da retirada do box, neste mesmo espaço.

Confesso que essa exigência dos locatários não foi um empecilho para o acerto do contato. No entanto, nos fez pensar sobre algumas questões. Se a porta do banheiro fosse 20 centímetros mais larga, o que não representaria um elevado custo no valor da final da obra, essa pequena reforma não seria necessária. Além de deixar a moradia pronta desde o princípio para receber todos os públicos.

Assim, fica a dica para projetos novos. Construa sua casa com aberturas maiores nos banheiros. A gente nunca sabe quando receberá uma visita de um cadeirante ou uma pessoa que utiliza andador. Também não sabemos o que o futuro nos reserva. É um investimento simples que poderá facilitar a mobilidade no futuro.

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Fim de mês é dia de descontos na construção civil

Não é novidade que as lojas têm metas de vendas para cumprir mês a mês, que são divididas entre os vendedores. Conforme o desempenho, eles recebem comissão, dando um plus no salário, e a loja ganha pontuação. Por isso a combinação de compra à vista no último dia do mês sempre rende bons descontos, ainda mais se a negociação ocorrer já no final da tarde, próximo do estabelecimento fechar.

 Fizemos três orçamentos de piso, azulejo, rejunte e argamassa para a casa de 65 metros quadrados. No primeiro local, com um material intermediário, o valor saiu R$ 2,7 mil. Nos outros dois, com material de mais qualidade, os orçamentos finais ficaram em R$ 3,5 mil. No dia 30 de setembro, às 17h50, chegamos na primeira loja para negociar a compra. (A intenção realmente era deixar a compra para o dia 30, mas o horário foi por conta da saída das crianças da escola).

Fizemos algumas alterações, trocando azulejos por outros de mais qualidade, assim como as pastilhas decorativas, enfim, organizamos um pedido o mais próximo possível das outras duas lojas que orçaram em R$ 3,5 mil. O resultado foi que chegamos o valor final de R$ 2,4 mil, à vista, com o frete, e ainda ganhamos um brinde. O vendedor ficou feliz e nós também. Assim, a dica é fazer vários orçamentos, juntar uma grana e segurar a onda para comprar no última dia do mês.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Construindo na divisa, junto à parede do vizinho

Dizem por aí que um vizinho pode ser o melhor amigo ou o ser pior inimigo. Para ficar com a primeira opção, é importante olhar para frente e se precaver de problemas futuros, especialmente quando o assunto é obra junto ao limite do terreno. A casa  foi planejada para aproveitar toda a área do terreno e por isso foi erguida na divisa com a área do vizinho. No entanto, já existe uma casa ali que também foi construída no limite.

Para garantir que as duas paredes (a nossa e a do vizinho) não sofram com infiltrações e umidade, a área foi impermeabilizada. A parede que recebeu o produto tem 10 metros de comprimento por 2,40 metros de altura, até a altura da cinta, ou seja, onde o telhado será erguido. O impermeabilizante utilizado foi o Vedapren Parede, com três demãos. Um balde de 18 quilos rende de 45 a 50 metros quadrados por demão e custa, em média, R$ 250,00.